terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O MAIS INTER VOTA NÃO!




Torcedor Colorado:

Ao longo do ano, o movimento MAIS INTER tem enviado suas mensagens aos sócios tratando dos temas que dizem respeito ao nosso querido INTERNACIONAL. Agora, às vésperas da decisão do Conselho Deliberativo sobre o destino de nossa casa, o Estádio Beira-Rio, pelos próximos 20 anos, não poderia ser diferente.


Desde o mês de agosto temos questionado a Diretoria quanto ao atraso das obras; ainda no início de novembro, manifestamos nossa recomendação para que o Internacional descartasse a ideia da parceria e retomasse as obras com os recursos próprios disponíveis, ainda que a construção da cobertura fosse adiada.


Após quase sete meses de demora, finalmente a empreiteira dignou-se a enviar a versão definitiva do contrato que será apreciado pelo Conselho Deliberativo. As tratativas entre o INTER e a Andrade Gutierrez estão protegidas por uma cláusula de confidencialidade, razão pela qual nossos Conselheiros, assim como os demais, tiveram de assinar um termo de compromisso em manter o sigilo sobre as cláusulas da minuta, como condição para terem acesso à mesma.

Torcedor Colorado, tenha certeza: se essas cláusulas fossem de conhecimento público, você iria ao Beira-Rio, aos milhares, para protestar.


Já que não podemos manifestar publicamente nossa discordância com os pontos da minuta que nossos Conselheiros puderam ler, podemos ao menos manifestar a opinião do Movimento MAIS INTER sobre alguns pontos do negócio divulgados pelo próprio Presidente Giovanni Luigi em entrevista coletiva, e alguns de seus asseclas nos meios de comunicação:


Receitas atuais:


A Diretoria tem dito que nenhuma das receitas atuais do Clube será comprometida, o que não é verdade, pois a totalidade da renda obtida com os camarotes e suítes já existentes será integralmente revertido à Sociedade de Propósito Específico a ser constituída pela Andrade Gutierrez. A renda obtida com o aluguel do Beira-Rio para shows, o economato dos bares (de todos os bares do estádio e não apenas dos novos) e o contrato com uma empresa de bebidas (que pagou pela exclusividade de seus produtos) será revertido integralmente à SPE. Isto tudo sem falar na diminuição da receita obtida com o estacionamento.


Essas receitas, correntes e futuras, fazem hoje parte do orçamento do Internacional e serão comprometidas caso o Clube assine o contrato de parceria.


Receitas Novas:


A Diretoria tem dito que o Internacional terá um incremento de receita anual da ordem de R$ 20 a 50 milhões de reais após a conclusão da obra. A própria variação desses números é evidência de que tal estimativa não tem embasamento em qualquer estudo ou pesquisa específica para o caso do Beira-Rio: em outras palavras, é apenas um "chute", baseado em exemplos europeus que nada têm a ver com a realidade brasileira.


Capacidade do Estádio:


Antes de iniciadas as obras, os associados do Internacional podiam ocupar um dos cerca de 53 mil lugares do estádio. Estranhamente, os Conselheiros somente tiveram acesso ao texto da minuta do contrato, mas não aos seus anexos. Assim, não temos como confirmar a suspeita de que o espaço disponível para o associado irá diminuir para 51 mil, ou seja, menos sócios COLORADOS poderão frequentar o Beira-Rio depois de concluída a obra. Até mesmo o nome de nosso estádio será repassado a construtora.



Por essas razões - e muitas outras, de conhecimento apenas de quem leu a minuta - o movimento MAIS INTER irá votar contra a parceria com a construtora Andrade Gutierrez, pois entendemos que o contrato é prejudicial ao Internacional. Acreditamos que as obras podem e devem ser concluídas com recursos próprios.

Se nos faltam hoje os recursos necessários para completar o projeto “Gigante para Sempre” a tempo para a Copa do Mundo, podemos empregar os recursos existentes para terminar a construção do anel inferior das arquibancadas, pavimentar o entorno do Estádio e construir o edifício-garagem.

Clubes de menor torcida e capacidade de mobilização podem precisar alienar o patrimônio existente e tornar-se locatários dos próprios estádios. O Clube com o maior quadro de associados do Brasil não precisa fazê-lo. O Clube com a maior Torcida do Sul do Brasil não precisa fazê-lo. A conclusão do projeto “Gigante para Sempre” é a resposta que a Torcida Colorada dará àqueles que, quarenta e poucos anos atrás, duvidaram de sua capacidade para construir um Estádio dentro d’água.


Colocar em campo um time competitivo e tornar rentável o patrimônio do Clube são os principais deveres de qualquer dirigente esportivo. Abrir mão de qualquer uma dessas competências é uma confissão de fraqueza que não combina com a história do Internacional.

Desde 1931, somos os donos da nossa própria casa, sem dever nada a ninguém. Quando a casa ficou pequena, a Torcida Colorada construiu a nova morada, à custa de muito esforço: cada saco de cimento, cada vergalhão e cada tijolo assentado foi uma oferenda destinada a purgar os pecados de cada vitória não alcançada e de cada título não conquistado. As vitórias vieram, assim como todos os maiores títulos a que um Clube pode aspirar, como que a comprovar o acerto da ousadia de não se contentar em ser apenas maior, quando se pode ser simplesmente Gigante.



Tendo lido a minuta do contrato - mas não os seus Anexos, os quais foram sonegados aos Conselheiros !!! - temos a obrigação de manifestar-nos contrários à parceria proposta. Se não podemos comentar suas cláusulas, cabe-nos mobilizar os associados para que pressionem os Conselheiros, para que a deliberação a ser tomada pelo Conselho reflita a convicção individual de cada Conselheiro quanto ao atendimento dos interesses do Clube, e não o simples pagamento de favores eleitorais. Nesse sentido, o Movimento MAIS INTER idealizou e está integrado ao movimento suprapartidário O BEIRA-RIO É NOSSO!



Por fim convidamos todos os associados para que se dirijam ao BEIRA-RIO nesta quinta-feira, dia 15 de dezembro, a partir das 19 horas para acompanhar a reunião do Conselho Deliberativo, quando os Conselheiros irão decidir o destino de nossa casa pelos próximos 20 anos.

Sócio venha fazer a diferença e participar desse momento tão importante para a história de nosso clube.


VAMOS JUNTOS DIZER: O BEIRA-RIO É NOSSO !!!


MOVIMENTO MAIS INTER

4 comentários:

  1. Não há dúvida. O contrato com a construtora é leonino, absurdo e sem precedentes. A longo prazo vai ser o embrião de uma catástrofe, por isso os conselheiros não podem referendar esse contrato. Comungo do pensamento de realizar o projeto com recursos próprios, independentemente de prazo para seu término. às favas a copa do mundo. Nosso compromisso tem de ser sempre com o melhor para o clube, o que no caso, não é, assim, inaceitável a reconstrução do estádio nesses termos.O BEIRA RIO é e sempre será nosso!

    ResponderExcluir
  2. E tirarão dinheiro próprio da onde? Quando nós sócios teremos um estacionamento no minimo asfaltado e não lamacento? Não digo que não haverá desvio, mas com recursos próprios este desvio seria infinitamente multiplicado.

    ResponderExcluir
  3. Asseclas? Ruim esse termo né?

    ResponderExcluir
  4. ederson marques nascimento13 de dezembro de 2011 18:49

    Depois de ter lido com muita atenção estou coma confição de que tem muita cosa errado nesta direção em poder aceitar a tantas exigencia me pergunto eu cade o coloradismo deste que se diz PRESIDENTE do SPORT CLUB INTERNACIONAL podemos sim construir o q nossos irmãos colorados do passado fizeram agora é nossa vez de fazer contruir sou socio deste 2006 pago em conta corret e aceitaria pagar bem mais minha mensalidade para não ter que entrega o meu a nossa casa a esta gente que não sabe oq é ter uma casa de muito orgulho nosso comcerteza estarei no beira rio nesta quinta para o meu protesto quero deste ja agradecer ao MOVIMENTO MAIS INTER por esse aviso que nos deixa cada dia mais alerto com esta direção !!!!

    ResponderExcluir